Articles

cateteres e competência da enfermeira

como parte do seu próprio papel, a enfermeira é competente para monitorar cateteres, sondas e drenos (artigo R.4311-5 36 ° do código de saúde pública).

Na prescrição médica ou de acordo com um protocolo, a enfermagem tem uma competência na implementação de lugar e ablação “um cateter curto ou uma agulha de infusão em um superficial. veia dos membros ou em uma veia epicraniana “.

A enfermeira também é competente para monitorar os assemblies de acesso venoso e implantável de” cateteres “centrais configurados por um médico”, bem como em injeções e infusões “, Excluindo o primeiro, nestes cateteres, bem como em cateteres venenosas centrais e estas montagens (…) “.

Finalmente, a enfermeira pode realizar” amostras de sangue por venoso ou de capilares E ou por cateter venoso “na prescrição médica ou nos termos do Protocolo (Artigo R.4311-7, 3 °, 4 °, 5 ° e 35 ° do Código de Saúde Pública).

desde que Um médico pode intervir a qualquer momento, a enfermeira é competente para a “injeção de drogas para fins analgésicos em cateteres perlaidurais e intráticos ou colocados perto de um tronco ou um plexo nervoso, colocado em prática por um médico e depois de fazer a primeira injeção ( …) “.

A enfermeira também tem uma competência na ablação de cateteres centrais e intratecais (artigo R.43119-9, 2 ° e 4 ° do código de saúde pública)

no outro Mão, os textos não mencionam a jurisdição de enfermagem na instalação da faixa venosa central. Na ausência de disposições legislativas ou regulamentares, é possível considerar que a instalação da pista venosa central constitui um ato médico, reservado para a única competência dos médicos e que apenas a manutenção, a injeção de determinados produtos e o monitoramento do Caminhos venosos é a enfermeira.

> para ir mais longe: as complicações dos caminhos venosos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *